Lançado em: 04-03-2019

Oitavo domingo do tempo comum - Limpar o próprio olho

Neste domingo a comunidade cristã é convidada a fazer a experiência da pureza via o amor. Quem ama não olha o defeito do irmão, da irmã, mas se torna uma chama da misericórdia do Pai para que todos possam experimentar a presença amorosa de Deus que gera vida.
É muito comum encontrar nas comunidades eclesiais sinais de exclusão, julgamento que pode destruir vidas, que pode gera revoltas e causar profundas feridas nos membros da comunidade. É preciso observar que, antes de julgar os outros, é preciso olhar para os próprios defeitos. Por isso, Jesus chama atenção para limpar primeiro o cisco do próprio olho e eliminar qualquer julgamento, qualquer condenação.

A verdadeira comunidade do Ressuscitado tem por base o amor que vence todo tipo de pecado e evita julgar o semelhante. Também, a comunidade reconhece a condição de pecador dos seus membros, porém tem o olhar voltado para Jesus Cristo que venceu todo mal. A comunidade do Ressuscitado afirma a verdadeira fé por suas ações , e por isso, pode sempre celebrar essa presença cuidadora de Deus. Olhar para os defeitos dos semelhantes é mostrar que, a experiência com a pessoa de Jesus Cristo não foi verdadeira.
O ensinamento de Jesus é bem claro, para corrigir os outros é preciso ter a pobreza de corrigir-se a si próprio. A arte de orientar não é a mesma de ver defeitos. Quando o ser humano está cheio de si, só enxerga nos outros defeitos e realiza diversos julgamentos. Quem segue a Jesus jamais tem a prerrogativa do julgamento, mas do amor acolhida. Conhecer a pessoa de Jesus Cristo é permitir que o outro possa também conhecer a dinâmica do amor, da misericórdia, da ternura e abrir caminhos de salvação para todos.
Por outro lado, a comunidade que julga, condena torna os ensinamentos de Jesus ridículo. A comunidade cristã e o lugar do perdão e da festa e não o lugar do tribunal. Quem julga anula o Evangelho, pois Jesus afirma que não veio para julgar e sim para salvar. Querer tirar o cisco no olho do irmão pode ser um desejo honesto da busca de verdade, mas quando está prática é resultado de paranoias pessoais , que esconde as traves que estão dentro do próprio olho, estão dentro de quem pronuncie sentenças.
Também nesse Evangelho, Jesus fez uma dura crítica as estruturas tradicionais que se apresentam incapaz de produzir verdadeiros frutos. Ligados à instituições arcaicas e situações de caducidades , eles ficavam procurando cisco no olho de Jesus, mas não percebiam que estavam nos próprios olhos. E o fruto deles não era bom. Jesus não quer seus discípulos assim, mas homens e mulheres sendo instrumentos de salvação para todos.

Pesquisado e escrito por Frei Fernando De Araújo,OFMconv.



ÚLTIMOS LANÇAMENTOS

Lançado em: 24-06-2019

24 de junho: dia de São João Batista, o precursor de Jesus Cristo


Lançado em: 21-06-2019

São Luís Gonzaga


Lançado em: 19-06-2019

Corpus Christ


Lançado em: 15-06-2019

Solenidade da Santíssima Trindade


Lançado em: 14-06-2019

Frei Michael Perry o Ministro Geral, OFM no Brasil